domingo, 27 de setembro de 2015

O Outro Gume da Faca. -Fernando Sabino.

A pedido de um amigo vou fazer a resenha sobre o livro O Outro Gume da Faca, Fernando Sabido.
Faz alguns anos que li, então me perdoem se minha memória estiver falha.
Precisei ler o livro para a apresentação de um trabalho de literatura. Não sabia o que esperar, afinal, esses livros para trabalhos geralmente são bem chatinhos, né?
Mas fiquei realmente surpreendida quando comecei a ler. O livro, além de pequeno, é bem simples. É uma leitura tão fácil que você termina antes que se dê conta. Acho que levei umas duas horas para terminar, no máximo.
A história é contada do ponto de vista de Aldo Tolentino, um advogado de 50 anos, que vive um casamento feliz com Maria Lúcia e possui três filhos. Aldo trabalha no escritório de seu melhor amigo, também advogado, Marco Túlio.
Mas durante um jantar com seus amigos Aldo é humilhado por sua esposa, e após isso ele começa a analisar algumas atitudes dela e a suspeita de que está sendo traído cresce cada vez mais.
Algum tempo depois Marco Túlio manda Aldo fazer uma viagem para representar a empresa, alegando que terá compromissos importantes e devido a isso não será possível ele mesmo fazer a viagem.
Aldo decide então fazer a viagem e chegando ao hotel faz seu registro, logo após, ele dá um jeito de sair escondido e embarcar novamente, usando passaportes falsos. Chegando a sua casa ele dá de cara com sua mulher e seu amigo juntos. Ele não planejava fazer nada contra eles, queria apenas ter a confirmação, no entanto, ele vê uma arma no bolso do casaco de Marco Túlio e antes que se dê conta já matou ambos.
Depois disso ele volta para o aeroporto e novamente viaja para o hotel, ao chegar lá vai para o quarto e age como se nunca tivesse saído.
Enquanto isso...
Seu filho mais velho, Paulo Sérgio, acaba de chegar de viagem e vai para casa. Ao chegar lá se depara com sua madrasta e amante mortos. E ao vê a arma no chão ele a pega, deixando assim suas digitais na arma. Nessa hora a polícia chegar e Paulo Sérgio é preso, acusado por ambos os assassinatos.
Quando Aldo descobre que seu filho foi preso devido ao seu crime corre até a polícia para confessar sua culpa, porém, seu álibi é tão perfeito que os policiais acham que ele está apenas tentando proteger seu filho. Depois de um tempo Paulo Sérgio não aguenta mais tanta pressão e acaba se suicidando.
Esse livro é ideal para aqueles que gostam de livros policiais - e para os que não gostam também.
Aldo faz as coisas de maneira tão simples que chega a ser engraçado. Ele não planeja nada com muita antecedência e nem sabia ao certo o que faria caso sua mulher realmente estivesse com outro.
Não sei se foi a maneira como ele planejou ou apenas um golpe de sorte, mas ele conseguiu fazer o crime perfeito. E jamais será considerado culpado, mesmo que confesse sua culpa.
Eu adorei esse livro por sua simplicidade e sua história envolvente. Quando comecei a ler me vi mais ansiosa a cada página, desejando saber o que aconteceria no fim e se seria possível realmente existir esse crime considerado perfeito.
A maneira com que Aldo age é o que mais se destaca, pois ele não tem qualquer planejamento certo sobre o que irá fazer. Ele age por impulso. E no fim dá tudo "certo" pra ele.
Depois de ler esse livro fiquei bastante interessada em ler outras obras do Fernando Sabino, ele me pareceu ser um excelente escritor.
Em breve postarei mais algumas resenhas sobre livros dele. ^^

Autor: Fernando Sabino.
Editora: Ática.
Publicado em: 1996.

Nenhum comentário:

Postar um comentário